História

ULBRA Universidade Luterana do Brasil
Em Canoas

Preço a consultar
Ou prefere ligar para o centro agora?
(55) ... Ver mais

Informação importante

  • Graduação
  • Canoas
  • Duração:
    48 Mêses
Descrição

Informação importante
Instalações

Instalações e datas

Início Localização
Consultar
Canoas
V. Farroupilha, Nº 8001 · Bairro São José, 92425-900, Rio Grande do Sul, Brasil
Ver mapa

Programa

O Curso

O curso de licenciatura em História foi criado em 1990 e reconhecido pela portaria do MEC N° 925/94, conforme parecer N° 112/94 do Conselho Federal de Educação, publicado no DOU de 16/06/1994.

Objetivo Geral


  • Qualificar o aluno para a prática pedagógica, proporcionando experiências didáticas e estratégias metodológicas para o ensino da História;
  • Proporcionar ao aluno experiências interdisciplinares, viabilizando o trânsito entre a História e outras áreas do conhecimento, resguardando, porém, a especificidade do campo histórico;
  • Oportunizar a troca de experiências com a comunidade, através de programas de extensão;
  • Possibilitar ao aluno experiências extracurriculares, através da valorização de atividades complementares em instituições de pesquisa conveniadas com o curso de História e em outros locais de reconhecida relevância acadêmica.

Objetivos Específicos


  • Qualificar o aluno para a prática pedagógica, proporcionando experiências didáticas e estratégias metodológicas para o ensino da História;
  • Capacitar o aluno a identificar as linhas gerais dos processos históricos e as diferentes temporalidades e espaços a estes relacionados;
  • Proporcionar ao aluno experiências interdisciplinares, promovendo o diálogo entre a História e outras áreas do conhecimento, resguardando, porém, a especificidade do campo histórico;
  • Oportunizar ao aluno o conhecimento das vertentes teórico-historiográficas, objetivando situá-lo no debate acadêmico contemporâneo;
  • Propiciar ao aluno a atualização bibliográfica nas diferentes áreas do conhecimento histórico;
  • Oportunizar a troca de experiência com a comunidade acadêmica, através de programas de extensão;
  • Propiciar ao aluno a prática da pesquisa histórica, estimulando-o a produzir conhecimento histórico e ampliando, desta forma, as fronteiras do saber científico;
  • Possibilitar ao aluno experiências extracurriculares, através da valorização de atividades complementares em instituições de pesquisas conveniadas com o curso de História e em outros locais de reconhecida relevância acadêmica.


Projeto Pedagógico

Concepção do curso de História


A História é resultado de uma construção intelectual e, como tal, utiliza-se de conceitos e de categorias para explicar e analisar os processos, o que implica em reconhecer que o saber histórico é permeado pela subjetividade daquele que o constrói.


Na concepção do curso, as dimensões da prática e do conteúdo são indissociáveis e devem estar presentes de forma sistemática e permanente nas atividades curriculares. Assim, a formação do acadêmico realiza-se na intersecção da experiência - na área pedagógica e na área específica da História - com os saberes teóricos particulares. Na dimensão pedagógica, percebe-se como fundamental a vivência do espaço escolar, no sentido da produção de conhecimentos, integrada a didáticas próprias e baseada em pesquisas. Na dimensão específica da História, entende-se aproximação entre experiência e teoria vinculada à produção da pesquisa histórica e às atividades acadêmicas realizadas em instituições promotoras e difusoras da memória social.

Missão do curso


A missão do curso consiste em formar cidadãos preparados para enfrentar os desafios da realidade em que estão inseridos, bem como proporcionar a dimensão valorativa da educação, voltada para o desenvolvimento da cidadania, com ênfase em princípios morais e éticos. Para cumprir essa missão, o curso estimula o aluno a conhecer, em profundidade, os processos históricos, procurando capacitá-lo a atuar criticamente na docência do ensino fundamental e médio e a desenvolver atividades de pesquisa e extensão relacionadas às novas demandas sociais e do mercado de trabalho.

Coerência do sistema de avaliação


O sistema de avaliação discente está embasado na sistemática proposta pela Universidade, levando em consideração as especificidades da natureza teórico-prática do curso de História - licenciatura. Nesse sentido, para que a avaliação do processo de ensino-aprendizagem possa trazer melhores resultados na construção do conhecimento histórico, torna-se relevante uma boa adequação entre a quantidade de informações a serem apresentadas e a disponibilidade de tempo para o desenvolvimento das atividades da disciplina.

Competências e habilidades



O graduado de História deverá:


  • Evidenciar ampla base cultural e científica;
  • Problematizar o conhecimento das diferentes temporalidades históricas;
  • Dominar os conceitos básicos que referenciam a construção deste campo do conhecimento;
  • Contextualizar os diferentes processos históricos;
  • Conhecer as principais tendências teóricas e historiográficas contemporâneas;
  • Compreender as etapas da pesquisa histórica e da produção do conhecimento científico;
  • Estabelecer relações entre o passado e o presente;
  • Interpretar e analisar textos e documentos históricos;
  • Elaborar trabalhos acadêmicos e projetos de pesquisa;
  • Formular estratégias didático-pedagógicas para o ensino da história que o habilitem no uso de novas linguagens;
  • Apresentar capacidade para desenvolver ações e projetos de gestão da memória e do patrimônio cultural em museus, arquivos e instituições culturais;
  • Reconhecer-se como sujeito da história;
  • Incentivar a preservação da memória histórica;
  • Evidenciar uma visão crítica do conhecimento histórico e da produção historiográfica contemporânea;
  • Estimular a reflexão qualificada sobre as práticas cotidianas;
  • Demonstrar atitude investigativa com relação ao conhecimento cotidiano e demonstrar comportamento ético.

Critérios de acesso

  • Processo seletivo: Vestibular e ULBRA Gerações
  • Regime acadêmico: regime acadêmico semestral
  • Vagas oferecidas pelo curso: 100 vagas (Resolução CONSUN n° 065 de 28 de junho de 2006)
  • Turno de funcionamento do curso: noturno
  • Prazo para integralização curricular: sete semestres

Estágio em História I (Museus e Arquivos)


Análise das especificidades das diferentes fontes documentais e das principais técnicas utilizadas para o trabalho com as mesmas. Caracterização da história oral enquanto uma das metodologias utilizadas para a construção do conhecimento na área do patrimônio. O uso comercial e turístico do patrimônio histórico-cultural. O professor e as estratégias de apropriação e preservação do patrimônio.


Atividades práticas


  • A parte prática (entre 8 e 12 horas de observação) é desenvolvida dentro de um arquivo ou uma instituição museológica, buscando identificar os diferentes tipos de documentos e de arquivos, reconhecer as principais funções de um arquivo, bem como oportunizar aos alunos a vivência do fazer museológico, em seus múltiplos aspectos: exposição, extensão, acervo, comunicação, entre outros;
  • Visita a museus e arquivos da capital e do interior do Estado;
  • Oficina de conservação e restauração do papel;
  • Elaboração do relatório que será um dos instrumentos de avaliação dos alunos no estágio.


Estágio em História II (Ensino)


  • Ações teórico-práticas relacionadas com a realidade docente em sua amplitude através de observações e o acompanhamento da rotina escolar. Atividade de preparação e aplicação de técnicas específicas utilizadas no exercício da função docente em História, conforme as perspectivas estabelecidas pelos Parâmetros Curriculares Nacionais.


Estágio em História III (Arqueologia)

  • Estudo das diversas abordagens teóricas e dos diferentes métodos de pesquisa arqueológica em campo e laboratório, através do estudo da história da arqueologia, que corresponde ao estudo das idéias que fundamentaram as pesquisas arqueológicas, ao estudo dos métodos de campo (prospecção e escavação) e à análise e interpretação da cultura material em laboratório, mediante estudos de casos em instituições de pesquisa e sítios arqueológicos no Rio Grande do Sul.


Atividades práticas


  • Oficina de cerâmica arqueológica no Atelier das Artes, com manuseio de argila e uso de técnicas de confecção das índias Guarani;
  • Visita a exposição temporária no Museu de Ciências com evidências materiais obtidas nas obras do Conduto Forçado;
  • Pesquisa na internet no laboratório de Informática (LABIN) em sites como IPHAN, SAB, instituições de pesquisa, revista "ComCiência", entre outros;
  • Prática no laboratório de Arqueologia e Etnologia (LAE) no Museu de Ciências Naturais sobre a rotina de análises do material histórico, com evidências encontradas na Casa Gomes Jardim e no Conduto Forçado;
  • Escavação na Casa Gomes Jardim, em Guaíba/RS e visita a bens de valor histórico-cultural como Casa da Bala, Matadouro Link, Mercado Municipal, Cipreste Farroupilha (bem natural tombado);
  • Visita ao Sambaqui de Xangri-lá;
  • Visita à Escola Militar (onde houve acompanhamento arqueológico e restauro arquitetônico), Forte Jesus Maria José, e outros bens tombados em Rio Pardo/RS.


Estágio em História IV (Ensino)


  • Operacionalização dos objetivos e fundamentos básicos em história articulados nas escolas de ensino médio e fundamental, considerando os fatores internos e externos ao processo educativo, assim como desenvolvimento de atividades em sala de aula com orientação.


Atividades práticas


  • Compreender a importância das habilidades de ensino para o desempenho do professor no processo didático, aplicando-os na atividade docente; analisar os dados levantados nas entrevistas e observações para a caracterização do grupo de alunos; colocar em prática através de atividade docente os conhecimentos adquiridos ao longo do curso; organizar o trabalho pedagógico conforme os projeto desenvolvidos na escola de atuação.


Atividades Acadêmicas

Ensino


Programa de Monitoria


O curso atualmente dispõe de uma bolsa de monitoria, com sistema de revezamento semestral nas diferentes disciplinas que oferecem a monitoria. Ex.: pesquisa, teorias, medieval, antiga, afrobrasileira, etc.
É possível exercer a monitoria voluntária em qualquer disciplina que ofereça esta possibilidade.

Pesquisa


Projetos de Pesquisa

  • Os docentes realizam projetos de pesquisa (pesquisa científica e formação acadêmica) que podem contar com o apoio financeiro da instituição e de órgãos de fomento à pesquisa no Brasil, como o CNPQ, a FAPERGS, a FINEP e outros;
  • A ULBRA possui o PROICT - Programa de Iniciação Científica e Tecnológica - que concede bolsa de estudo aos alunos participantes dos projetos de pesquisa aprovados com auxílio;
  • Atualmente os professores Gislene Monticelli, Evangelia Aravanis, Maria Angélica Zubaran, Katia Pozzer e Ricardo Rieth estão com projetos aprovados;
  • O projeto de pesquisa "A representação da guerra na iconografia Neo-assíria", da professora Katia Pozzer, tem o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS) e da ULBRA;
  • Realização de pesquisas no laboratório de Arqueologia e Etnologia - LAE;
  • Participação aberta no núcleo de pesquisa em Teatro e História.


Projetos de Pesquisa

  • História da alimentação mediterrânea na antiguidade - professora doutora Paulina Nólibos;
  • Memórias e representações na Vila Nossa Senhora de Fátima - professora doutora Evangelia Aravanis;
  • Pesquisa arqueológica nos licenciamentos ambientais - professora doutora Gislene Monticelli;
  • Guerra e religião na iconografia Neo-assíria - professora doutora Kátia Maria Paim Pozzer.

Extensão


Projetos de Extensão Universitária

  • Organização do acervo da oficina de criatividade do Hospital Psiquiátrico São Pedro;
  • Levantamento, classificação e transcrição de fontes documentais do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul;
  • Setor de obras raras do Museu da Comunicação Social Hipólito José da Costa;
  • Observatório Franco-Brasileiro de Cidades de Periferia;
  • Convênio com o Instituto Cultural Brasileiro Norte-Americano: acervo de documentos e imagens.


Projetos de Extensão Universitária

  • Semana acadêmica do curso promovido pelo Centro Acadêmico e coordenação do curso de História;
  • Cursos populares preparatórios ao ENEM (experiência profissional de docência em cursinho);
  • ENCEJA (experiência profissional de docência em supletivo);
  • Ações no Dia da Responsabilidade Social;
  • Organização e participação na Feira das Profissões.

Atividades Extracurriculares


  • Organização de eventos: autores e obras, palestras, aula inaugural, reunião dos GTs da ANPUH;
  • Incentivo à participação discente em eventos científicos (ampla divulgação de eventos regionais e nacionais);
  • Corais da ULBRA com bolsa de estudo;
  • Olimpíadas universitárias promovidas pelo DCE e curso de Educação Física;
  • Acesso aos Concertos da Orquestra de Câmara da ULBRA;
  • Instituto de Línguas da ULBRA - ILULBRA com descontos para alunos da instituição.

Pós-graduação


Curso de Especialização em Patrimônio Cultural e Identidades


O curso busca enfatizar as discussões sobre patrimônio cultural e identidades, com ênfase nos aspectos práticos dos processos de preservação dos acervos e de construção/afirmação de identidades. O curso aborda a problemática da formação étnico-cultural, discussões sobre as relações de gênero e as estratégias de conservação de bens culturais, arquivísticos e museológicos.