Ciência da Computação

ULBRA Universidade Luterana do Brasil
Em Canoas

Preço a consultar
Ou prefere ligar para o centro agora?
(55) ... Ver mais
Compare este curso com outros semelhantes
Ver mais

Informação importante

  • Graduação
  • Canoas
  • Duração:
    4 Anos
Descrição

O curso objetiva ser excelente na área contribuindo com a comunidade em seu crescimento tecnológico, econômico e social, através da informática.

Informação importante
Instalações

Instalações e datas

Início Localização
Consultar
Canoas
V. Farroupilha, Nº 8001 · Bairro São José, 92425-900, Rio Grande do Sul, Brasil
Ver mapa

Programa



O Curso


Objetivos

O curso de bacharelado em Ciência da Computação tem como objetivo geral formar profissionais capazes de:
  • Atuar no mercado de trabalho a fim de projetar, desenvolver, implantar e gerenciar soluções envolvendo a tecnologia da computação para desafios da sociedade e empresas;
  • Estudar e desenvolver novas tecnologias ligadas à computação;
  • Atuar na pesquisa científica e tecnológica;
  • Seguir a carreira acadêmica através de mestrado e doutorado em computação;
  • Intervir na realidade, de forma empreendedora e criativa, ampliando os campos de atuação profissional, no sentido de desencadear/maximizar processos de desenvolvimento da Computação, bem como de prestar serviços especializados na área, ampliando assim os campos de atuação profissional;
  • Estruturar informações de forma adequada ao seu uso e processamento automatizado e conhecer as aplicações e limitações do tratamento automatizado das informações para seleção de tecnologias adequadas às necessidades.


Objetivos Específicos

O foco do curso é o conjunto de técnicas e ferramentas que permitam realizar a análise de requisitos, projeto, desenvolvimento, testes e implantação de sistemas complexos de software e hardware, através de trabalho em equipe e de maneira multidisciplinar.
Assim, os objetivos específicos do curso apontam para:
  • Constituir-se em um espaço de integração entre o meio acadêmico e a sociedade na área da computação;
  • Contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico na área;
  • Atender às necessidades regionais e nacionais em termos de formação de recursos humanos;
  • Manutenção de um centro de capacitação profissional que permita, aos profissionais já existentes na região e os futuros alunos formados, manter a atualização nas várias tecnologias que surgem constantemente na área;
  • Desenvolver atividades de pesquisa científica, visando identificar problemas e obter soluções adequadas e inovadoras.



Projeto Pedagógico

Missão e Visão do Curso O curso objetiva ser excelente na área contribuindo com a comunidade em seu crescimento tecnológico, econômico e social, através da informática.
Tem como visão conseguir uma adaptabilidade político-pedagógica, visando o acompanhamento da evolução do processo de desenvolvimento regional, contribuindo não somente com o suporte tecnológico a esta evolução, mas também com a promoção de uma cultura voltada às inovações.
Sua missão é viabilizar acesso ao mercado de trabalho, superando as expectativas dos clientes e do mercado, estimulando a atitude empreendedora e formando profissionais aptos a se desenvolver em meio aos avanços tecnológicos.
O foco do curso é o conjunto de técnicas e ferramentas que permitam realizar a análise de requisitos, projeto, desenvolvimento, testes e implantação de sistemas complexos de software, através do trabalho em equipe e de maneira multidisciplinar.
Os aspectos de hardware são considerados na medida em que influenciam o desempenho do software e viabilizam a utilização de determinadas tecnologias de programação.
Considera os seguintes valores:
  • formação de uma consciência crítica, colaborativa e pró-ativa;
  • desenvolvimento de um raciocínio lógico e matemático;
  • formação da cidadania através do exercício ético da profissão;
  • estímulo a atividades empreendedoras, sempre com um acompanhamento científico;
  • prática de atividades diretamente relacionadas a área de Ciência da Computação possibilitando experiência ao aluno, junto à comunidade, mesmo antes de ingressar no mercado de trabalho.
Princípios Fundamentais do Curso
As transformações culturais, científicas e tecnológicas ocorrem de modo acelerado nas sociedade contemporânea, ocasionando profundas mudanças nas relações humanas. Relações hoje tecidas em uma complexa rede de conhecimentos, saberes e práticas. A comunicação que gera, nutre e alimenta essas relações aparece sob novas e sofisticadas possibilidades, ensejando o uso de novas linguagens em paralelo e, às vezes, até mesmo substituindo, a linguagem oral e escrita nas relações humanas pela linguagem eletrônica.
Os computadores são máquinas abstratas que simulam pensamento de modo virtual. A computação é um dos pilares mais importantes de sustentação do desenvolvimento do país e a formação de recursos humanos com qualidade é a pré-condição necessária a este desenvolvimento.
Na descrição do perfil dos egressos do curso são abordados os seguintes tópicos:
  • conjunto de aptidões esperadas dos egressos;
  • classes de problemas que os egressos estarão capacitados a resolver;
  • funções que os egressos poderão exercer no mercado de trabalho.
  • capacidade de adaptação do egresso à evolução da computação e de suas tecnologias.
A metodologia do curso é descrita em função do perfil dos egressos e do seu papel na sociedade, incluindo:
  • como o curso forma profissionais capazes de atuar no desenvolvimento tecnológico da computação;
  • como o curso forma profissionais com capacidade para a análise de problemas organizacionais e usar, de forma adequada e econômica, hardware e software na sua solução;
  • como o curso forma profissionais capazes de serem agentes transformadores do mercado de trabalho, através da geração de novas tecnologias;como o curso forma profissionais capazes de satisfazer as reais necessidades do mercado de trabalho pelo uso e exploração das tecnologias correntes e futuras.


Concepção do Curso

O profissional de Ciência da Computação deve dispor de uma sólida formação conceitual (conhecimento explícito) aliada a uma capacidade de aplicação destes conhecimentos científicos em sua área de atuação (conhecimento tácito) de forma a agregar valor econômico à organização e valor social ao indivíduo. Neste sentido, as competências (conhecimento explícito e conhecimento tácito) do profissional podem ser agrupadas em competências tecnológicas e competências humanas. Estas competências do egresso são alcançadas pelas disciplinas abaixo.
O Ciclo de Formação Geral traz ao aluno a compreensão do mundo e da sociedade, além da comunicação e raciocínio necessários à formação do cidadão e do profissional.
O Ciclo de Formação Básica Profissional traz ao aluno conhecimentos e o exercício de habilidades e atitudes comuns à área geral do conhecimento em que está inserido o seu curso.
O Ciclo de Formação Profissional trabalha com o aluno conhecimentos e o exercício de habilidades e atitudes específicas da profissão por ele escolhida.
O curso não busca, simplesmente, o desenvolvimento tecnológico do aluno, mas também desenvolver um perfil prático, científico e axiológico.
O lado científico objetiva despertar uma visão sistêmica da computação, na qual os conhecimentos teóricos, científicos e tecnológicos são relacionados. Este lado científico está relacionado à capacidade do aluno em planejar, implementar, avaliar e gerenciar projetos, integrando hardware e software. Além de propiciar conhecimento de aspectos relacionados à evolução da área da computação.
O lado prático desenvolve a comunicação oral e escrita, a capacidade de liderar e trabalhar em equipe, a resolução de problemas concretos e interdisciplinares. Além da capacidade de unir a teoria com a prática e uma rápida adaptação à constante evolução da computação.
O lado axiológico desenvolve o espírito crítico. Apresenta a ética como base para a atividade profissional, a necessidade de um constante desenvolvimento pessoal e profissional, valorizando a pesquisa científica e tecnológica como processo de realimentação dos conhecimentos.


Adequação da Metodologia de Ensino à Fundamentação Teórico-metodológica

O projeto pedagógico do curso adota a distribuição de ciclos sugerida pela área de Tecnologia e Computação. Este ciclos são os seguintes:

  • Formação Geral - compreende aprendizagens relativas à visão de mundo, de sociedade e aquisições de competências básicas relativas à comunicação e ao raciocínio necessário à formação do cidadão profissional. Propicia ao egresso uma dimensão social e humana;
  • Formação Básica Profissional - compreende aquisição de conhecimentos e o exercício de competências comuns à área geral do conhecimento. Compreende os princípios básicos da área de computação, a matemática necessária para defini-los formalmente, a física e eletricidade necessária para permitir o entendimento e o projeto de computadores viáveis tecnicamente;
  • Formação Profissional - aplica os conhecimentos básicos no desenvolvimento tecnológico da computação. Permite uma melhor interação dos egressos com o mercado de trabalho e as profissões.

As disciplinas que compõem a formação geral são:

Comunicação e Expressão, Instrumentalização Científica, Cultura Religiosa e Sociedade e Contemporaneidade. Inicialmente é repassada uma fundamentação ética que guiará o aluno durante sua formação. Estas disciplinas de formação concentram-se nos semestres iniciais, propiciando ao aluno uma aprendizagem continuada e coerente.

Nesta formação o aluno está envolvido em equipes de trabalho nas quais o relacionamento interpessoal, a capacidade de comunicação, de análise crítica, de interpretação, entre outros aspectos, permeiam a qualidade do trabalho.

Portanto, além da formação técnica, é imprescindível que o estudante desenvolva competências/habilidades de comunicação, relacionamento, organização do trabalho em grupos e de compreensão adequada ao contexto social, na perspectiva de uma atuação pessoal e profissional eficaz e, ao mesmo tempo, construtiva, justa, ética e responsável.

A formação geral deve agregar-se à formação técnica, de modo a que o egresso possa estar apto a lidar com a complexidade das relações e das demandas humanas e sociais, principalmente com relação aos aspectos dos impactos das novas tecnologias no homem, nas organizações e na sociedade.

Essa formação, por ser bastante abrangente e generalista, também entra na área de: psicologia, abordando aspectos relacionados com a pessoa e o trabalho, motivação, relações interpessoais e liderança; direito, enfocando aspectos relevantes relativos a legislação e aplicação de princípios jurídicos na área da Computação e outras especialidades, dependendo das ênfases especificas de cada curso.

A Formação Básica Profissional está presente através das disciplinas: Algoritmos e Programação I, Algoritmos e Programação II, Algoritmos e Programação III, Lógica de Predicados, Fundamentos Profissionais, Estrutura de Dados I, Introdução à Computação, Matemática Discreta, Fundamentos de Matemática Aplicada, Estrutura de Dados II, Linguagens Formais, Paradigmas de Linguagens de Programação, Fenômenos Eletromagnéticos, Tratamento de Dados, Arquitetura e Organização de Computadores II, Compiladores e Competência Multidimensional.

Essas disciplinas aproximam o aluno do mercado de trabalho, com ênfase em outras áreas de formação como: Administração, Empreendedorismo, entre outras.

A Formação Profissional está presente através das disciplinas: Linguagem de Programação Orientada a Objetos I, Linguagem de Programação Orientada a Objetos II, Arquitetura e Organização de Computadores I, Banco de Dados I, Engenharia de Software, Banco de Dados II, Sistemas Operacionais, Projeto de Sistemas Operacionais, Redes de Computadores, Inteligência Artificial I, Computação Gráfica, Sistemas Distribuídos, Inteligência Artificial II, Tópicos Avançados em Informática, Interfaces Homem-Computador e Segurança de Sistemas.

Entretanto, quando se espera do egresso, de um lado o entendimento de que a formação profissional é um processo contínuo de construção de competências, que demanda atualização e aperfeiçoamento constantes, e de outro a capacidade de utilizar os conhecimentos científicos e tecnológicos existentes e disponíveis para produzir novos conhecimentos científicos e/ou tecnológicos, torna-se necessário instrumentalizá-lo para o fazer científico.

A área de Ciência da Computação é muito ampla no que diz respeito à tecnologia e às respectivas formas de aplicação, e também muito dinâmica devido ao surgimento constante de novas tecnologias e mudanças significativas na forma de atuação das organizações que as utilizam.

Os cursos de bacharelado em Ciência da Computação focalizam os temas centrais na área, mas certamente não podem cobrir toda a gama de possibilidades em termos de formação específica. Da mesma forma, verificam-se avanços teóricos e tecnológicos na área de formação profissional.



Coerência Curricular

Faz-se importante, em se tratando de currículo, sua completude tendo em vista a garantia da coerência deste com a fundamentação teórico-metodológica, como com os objetivos, com o perfil do egresso e, com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a área de computação, mais especificamente para o curso de Ciência da Computação. A fim de facilitar este estudo encontram-se abaixo classificadas as disciplinas das principais áreas da Computação, onde o conhecimento adquirido em cada um é, de forma interdisciplinar, aproveitado nas demais.

Como visto anteriormente, várias disciplinas contribuem para a formação básica dos alunos. Com a divisão em grupos, temos: Programação, Computação e Algoritmos, Arquitetura de Computadores, Matemática, e Física e Eletricidade.


Programação: sendo uma atividade voltada para a solução de problemas, está relacionada a várias outras disciplinas, tanto da formação básica, quanto tecnológica e complementar. A programação é uma ciência, necessitando, desta forma, de disciplinas que apresentem ao aluno suas técnicas, formalismos e princípios. Nesta classificação os principais conceitos são apresentados. A programação é amplamente difundida em disciplinas de desenvolvimento de algoritmos e estruturas de dados.


Computação e Algoritmos: a noção de algoritmo pressupõe a existência de algum tipo de máquina abstrata onde este possa ser executado de forma automática, sendo chamada de "modelo de computação". A disciplina de Linguagens Formais é responsável pela união de um algoritmo a um modelo de computação. Este sub-grupo é fundamental para o entendimento das disciplinas pertencentes ao grupo de Programação, pois todas as linguagens executáveis obedecem aos critérios de formalidade.


Arquitetura de Computadores: as disciplinas deste sub-grupo estão relacionadas ao projeto e o estudo de máquinas capazes de executar tarefas descritas por meio de linguagens de programação, permitindo o uso eficiente dos recursos, bem como a solução de problemas. Apresentam-se nestas disciplinas: os conjuntos de instruções visíveis ao programador na construção de programas, definindo o limite entre o hardware e o software; a organização funcional, apresentando os conceitos necessários para a aprendizagem e execução dos conjuntos de instruções; os diversos elementos funcionais em lógica digital incluídos no projeto lógico, envolvendo as expressões aritméticas e sistemas algorítmicos; e a implementação, contemplando projetos de circuitos integrados.

Matemática: sendo a base para a computação, a matemática está presente em grande parte das disciplinas dos diversos sub-grupos. O aluno adquire conhecimentos das seguintes áreas matemáticas: lógica, modelos formais, álgebra, análise combinatória, entre outras. Além destas, a área da estatística tem aplicação na solução de problemas que envolvem a aplicação da computação.


Física e Eletricidade: vários aspectos da área da física estão presentes no currículo do curso. As leis básicas da eletricidade fornecem a base para a compreensão de problemas envolvidos na evolução tecnológica. A representação matemática e o princípio de operação dos dispositivos semi-condutores também são importantes para o aprendizado do cientista da computação. Além da teoria eletromagnética, das ondas e dos fenômenos ópticos.


Da mesma forma que ocorre com a formação básica, várias disciplinas contribuem para a formação profissional dos alunos. Os grupos atendidos pelo currículo do curso que fazem parte deste ciclo de formação são: Sistemas Operacionais, Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos, Compiladores, Banco de Dados, Engenharia de Software, Interface Homem-Máquina, Inteligência Artificial e Computação Gráfica.


Sistemas Operacionais, Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos: Sistemas Operacionais - essencial para a formação tecnológica dos alunos uma vez que é responsável pelo gerenciamento da operação dos computadores, buscando oferecer flexibilidade, eficiência, segurança, transparência e compartilhamento de recursos aos usuários; Redes de Computadores - área em constante evolução, apresenta as novas tecnologias de comunicação que viabilizam a transferência da informação. Dentre os conhecimentos abordados nas disciplinas deste grupo, destacam-se a comunicação entre os dados, topologias, codificação de informações, entre outros; Sistemas Distribuídos - os principais assuntos abordados nas disciplinas deste grupo são algoritmos distribuídos, sistemas operacionais e seus núcleos, programação distribuída e confiabilidade, entre outros.


Compiladores: os compiladores são ferramentas de tradução entre linguagens, mantendo a semântica original. As disciplinas deste grupo abordam a estrutura de um compilador, a análise de programas, máquinas abstratas, entre outros. São desenvolvidos projetos práticos, aplicando as técnicas estudadas.


Banco de Dados: a organização dos dados em aplicações é uma necessidade crescente. Esta área visa propor soluções para este problema. É composta por disciplinas que abordam conceitos aplicados em várias áreas, sendo envolvida com Engenharia de Software, Programação, Redes, Sistemas Distribuídos, entre outras.


Engenharia de Software: o desenvolvimento de projetos, com técnicas apropriadas, em prazos e custos estimados, é a grande força deste grupo. A Engenharia de Software serve como guia para profissionais de desenvolvimento de sistemas, gerenciamento de projetos, análise de sistemas, além de ser um forte canal de ligação entre várias disciplinas do curso.


Interface Homem-Máquina: as disciplinas se relacionam com disciplinas de projetos de software, como por exemplo, as engenharias. A usabilidade do sistema é um dos pontos principais para uma boa interface, esta é aplicada através de estudos e projetos desenvolvidos.


Inteligência Artificial: a formulação e a implementação de teorias e modelos computacionais de funções cognitivas são os focos principais desta área. Busca desenvolver técnicas que simulam a inteligência no computador. Utiliza-se a representação do conhecimento, a automatização do raciocínio, a resolução de problemas, a aprendizagem automática, a percepção e o processamento da linguagem natural para chegar ao seu objetivo.


Computação Gráfica: utilizam técnicas para a geração de imagens de objetos reais a partir de modelos computacionais. Utiliza-se fortemente conceitos da matemática e trabalha-se com modelagem de objetos, representação de dados e geração de imagens.


Actividades Acadêmicas:
A experiência profissional é proporcionada através da oferta de vagas de estágio em empresas da região, e realizando atividades relacionadas ao perfil do egresso do curso. Além disso, a experiência profissional também é referenciada em muitas disciplinas, como as de Gestão Tecnológica.

A vivência científica é incentivada indiretamente durante toda a vida do acadêmico, e diretamente através da disciplina de Atividades Complementares. Esta disciplina ocorre durante todo o curso. No último semestre, o aluno matricula-se nela e tem que comprovar a participação de atividades de extensão e pesquisa diretamente relacionadas a área de Sistemas de Informação. São atividades consideradas desde feiras e eventos comerciais até congressos e atividades científicas, sendo que as científicas têm peso superior na avaliação da disciplina.
Em relação à pesquisa, a Universidade oferece bolsas de iniciação científica de 20h para que os alunos atuem diretamente com pesquisa, juntamente com professores orientadores. Os acadêmicos são incentivados também a participar de diversas atividades de extensão como os projetos sociais voltados para a inclusão digital.
Visando proporcionar a participação destes alunos em atividades diretamente relacionadas à pesquisa científica, o curso mantém grupos voluntários de pesquisa que, diferentes das pesquisas convencionais que envolvem um ou dois professores e de um a quatro alunos, são compostos por diversos alunos pesquisando sobre temas abrangentes. Nestes grupos não é exigido dos alunos a dedicação de 20h, e sim cada aluno especifica, na entrada no grupo, os horários de sua participação e as atividades que irá desenvolver.



Compare este curso com outros semelhantes
Ver mais