Radiologia

ULBRA Universidade Luterana do Brasil
Em Canoas

Preço a consultar
Ou prefere ligar para o centro agora?
(55) ... Ver mais

Informação importante

  • Graduação
  • Canoas
  • Duração:
    36 Mêses
Descrição

Informação importante
Instalações

Instalações e datas

Início Localização
Consultar
Canoas
V. Farroupilha, Nº 8001 · Bairro São José, 92425-900, Rio Grande do Sul, Brasil
Ver mapa

Programa

O Curso

O curso de graduação tecnológica em Radiologia concebe a educação como processo de formação de egressos que possam atuar como agentes de transformação, responsáveis pelo desenvolvimento da ciência, tecnologia e, principalmente, para a formação de profissional qualificado e consciente de seu papel social na comunidade.

Desde 1991, ano de sua implantação, o curso tem acompanhado a evolução tecnológica dos diversos métodos de diagnóstico por imagens, propiciando aos seus alunos as competências necessárias para atuarem no mercado de trabalho.

Objetivo

Formar profissionais para atuarem nas diversas áreas da radiologia, com excelente domínio de conteúdo, coerente e crítico frente aos desafios profissionais e sociais. Orientar para atuar como agente transformador entre a ciência, a sociedade e o mercado de trabalho. Evidenciar na sua especificidade de exercer com competência as atividades pertinentes a formação, respeitando os princípios éticos do exercício profissional.

Duração do Curso

O curso tem duração de seis semestres, totalizando 2720hs.

Competências

  • Adquirir e processar exames de radiologia convencional, mamografia, densitometria óssea, tomografia computadorizada, ressonância magnética nuclear, medicina nuclear, radioterapia, exames odontológicos, exames contrastados e radiologia industrial;

  • Reconhecer e distinguir as diversas modalidades de diagnóstico por imagem;

  • Fazer relações anatômicas em imagens radiológicas, bem como, reconhecer suas variáveis;

  • Definir e/ou propor protocolos de execução de exames nas diferentes modalidades de diagnóstico;

  • Distinguir as características básicas da formação da imagem analógica ou digital, empregando os conceitos e princípios das diferentes modalidades de imagens;

  • Selecionar e associar técnicas radiográficas diversificadas utilizadas para identificar as diferentes patologias e situações clínicas;

  • Identificar padrões de normalidade e anormalidade na imagem radiológica;

  • Monitorar, quantificar e otimizar a produção de rejeitos radiológicos;

  • Reconhecer os equipamentos de diagnóstico por imagem e suas aplicações;

  • Promover soluções tecnológicas de viabilização da informação das imagens radiológicas;

  • Promover a proteção individual e coletiva dos profissionais e pacientes envolvidos no processo de obtenção do exame de acordo com as normas nacionais e internacionais de proteção radiológica;

  • Orientar e coordenar equipes multidisciplinares identificando formas de organização e relação de trabalho nas atividades em Diagnóstico por Imagem;

  • Promover e supervisionar as aplicações das técnicas radiológicas de acordo com o código de ética profissional;

  • Manusear materiais radioativos utilizados para obtenção de imagens diagnósticas;

  • Identificar e analisar os processos físicos e químicos para obtenção das imagens diagnósticas;

  • Dominar noções básicas de enfermagem que fazem parte de rotinas operacionais de um setor de radiodiagnóstico;

  • Identificar os riscos de reação alérgica aos meios de contraste radiológicos visando à prevenção de iatrogenias;

  • Promover a integralidade no atendimento aos pacientes/clientes dentro de uma visão humanística trabalhando em equipes multidisciplinares;

  • Assumir uma postura de atualização profissional permanente;

  • Articular conhecimento teórico ao contexto profissional de forma interdisciplinar.

Perfil do egresso

O curso possibilita a formação de um profissional com pensamento crítico e humanístico, habilidades e competências técnico-científicas bem como capacidade de adequação e adaptação do exercício profissional no seu contexto de atuação, conforme Parecer CNE/CES 436/2001, Diretrizes Nacionais (Resolução CNE/CP nº 3, de 18/12/2002, publicada no DOU em 23/12/2002) e Diretrizes da Universidade Luterana do Brasil. O egresso será capaz de realizar com destreza as atividades privativas do tecnólogo em Radiologia e ainda de atuar em áreas afins, comuns a outras profissões, integrando com desenvoltura equipes multiprofissionais e interdisciplinares.

Mercado de Trabalho

O curso habilita o profissional a trabalhar nas áreas de Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética, Medicina Nuclear, Radioterapia, Exames Odontológicos, Mamografia, Densitometria Óssea, Radiologia Geral, Radiologia Digital, Radiologia Industrial, Processamento de Imagens, Gestão de Serviços, Prevenção e Promoção de Saúde.

Diferenciais

Curso pioneiro no Brasil na formação de tecnólogos em Radiologia;

Professores especialistas, mestres e doutores atuantes no mercado;

Laboratórios equipados e funcionais para as atividades práticas de anatomia, enfermagem, informática e técnica radiológica;

Hospital Universitário equipado com sistemas de imagens digitais;

Atividades práticas das disciplinas técnicas realizadas com pacientes;

Projetos de extensão e de pesquisa com a participação de alunos e professores.


Projeto Pedagógico

Missão

Formar e aperfeiçoar profissionais tecnólogos em Radiologia, numa perspectiva holística para atender às necessidades de promoção, prevenção e auxílio de forma interdisciplinar na recuperação da saúde e bem-estar da pessoa e da comunidade, através da excelência do ensino, pesquisa e atividades de extensão.

Visão

A Universidade Luterana do Brasil, através do curso de Tecnologia em Radiologia, visa o compromisso de propor, para o mundo do trabalho, profissionais com pensamento autônomo, desenvolvendo a responsabilidade social, com habilidades necessárias para o pleno desenvolvimento das atividades com ética e cidadania, agregando valores no meio acadêmico para contribuírem com o progresso da comunidade em que está inserido.


Atividades Acadêmicas

Estágios

O curso caracteriza-se pelas competências e habilidades técnicas e científicas no desenvolvimento de suas atividades. No decorrer de sua progressão acadêmica, o aluno realiza dois estágios curriculares obrigatórios. O primeiro ocorre no 4º semestre e é exclusivamente direcionado à prática radiológica convencional (exames de raio X). O segundo estágio acontece no final de sua formação, na qual o aluno pode optar por uma das modalidades desenvolvidas no curso. São elas: Tomografia Computadorizada, Ressonância Magnética, Medicina Nuclear, Radioterapia, Radiologia Odontológica, Mamografia e Densitometria Óssea.

Atividades Práticas

1-Aulas de Tomografia: a disciplina de Tomografia Computadorizada é ministrada em ambiente hospitalar, no setor de Diagnóstico por Imagem do Hospital Universitário. São atividades teóricas e práticas, com pacientes agendados exclusivamente para as aulas.

2- Aulas de Ressonância Magnética: assim como a disciplina de Tomografia Computadorizada, as aulas de Ressonância Magnética também são desenvolvidas no Hospital Universitário, também com agenda de pacientes exclusivos para a atividade.

Atividade Complementares

São atividades que buscam propiciar ao aluno a oportunidade de realizar uma trajetória autônoma e particular no desenvolvimento do currículo. As atividades complementares podem ser desenvolvidas nos níveis de ensino, pesquisa e extensão, e estão normatizadas por documento próprio estruturado pelo curso de Radiologia.

Serão entendidas como atividades complementares as seguintes modalidades: programas especiais de capacitação do estudante; atividades laboratoriais além das já previstas no padrão turma/horas-aula; atividades de extensão; monitoria; atividades de pesquisa; discussões temáticas; estudos complementares; atividades acadêmicas a distância; participação em seminários, encontros, simpósios, conferências e congressos, internos ou externos à Instituição; estudos de casos; viagens de estudos; estudos desenvolvidos em empresas juniores; projetos de extensão; publicação de produção científica; módulos temáticos (com ou sem avaliação); disciplinas oferecidas por outros cursos e/ou unidades de ensino e não previstas no currículo pleno do curso; visitas programadas e outras atividades acadêmicas e culturais; trabalhos orientados de campo; estágios em laboratórios; cursos realizados em outras áreas afins; cursos livres (como, por exemplo, informática e idiomas); integração com cursos sequenciais correlatos à área; participação em eventos científicos em áreas afins; outras atividades definidas no projeto pedagógico de cada curso.

Pós-graduação: Anatomia Funcional por Imagens

A Anatomia Humana é área de conhecimento fundamental para a compreensão dos eventos normais e importante ferramenta de entendimento para o estudo dos processos patológicos. No entanto, existe uma grande carência de cursos que buscam uma formação de maior profundidade na área morfológica. Visto que a anatomia é uma disciplina que, usualmente, é inicial nas graduações em saúde, uma série de lacunas ficam a ser preenchidas ao longo e após a formação acadêmica específica.
Da mesma forma, a interpretação de imagens é uma habilidade necessária e valiosa aos mais diversos profissionais que, durante suas rotinas, precisam realizar tomadas de decisão rápidas e seguras. O curso de Anatomia Funcional por Imagens, em andamento desde 2007/2, integra o conhecimento teórico à vivência prática e sua aplicabilidade dentro do mercado de trabalho, instrumentando e capacitando o profissional interessado, seja para uma formação específica em morfologia ou sua utilização nas diversas áreas afins.