Nutrição

Unijuí
Em Ijuí

Preço a consultar
Ou prefere ligar para o centro agora?
(55) ... Ver mais
Compare este curso com outros semelhantes
Ver mais

Informação importante

  • Graduação
  • Ijuí
  • Duração:
    8 Semestres
Descrição

Formar o profissional nutricionista, capaz de no campo da saúde, alimentação e nutrição humana desenvolver suas ações com autonomia e discernimento, assegurando a integralidade da atenção prestada aos indivíduos, famílias e populações conforme os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde.
Dirigido a: Por uma alimentação equilibrada. O nutricionista atua no campo da saúde, alimentação e nutrição humana. Desenvolve ações com autonomia e discernimento, assegurando a integralidade da atenção prestada aos indivíduos, famílias e populações conforme diretrizes do Sistema Único de Saúde. Este profissional conhece os alimentos na sua complexidade e especificidade e sua aplicação na alimentação e nutrição humanas.

Informação importante
Instalações

Instalações e datas

Início Localização
Consultar
Ijuí
Rua Do Comércio, 3000 Cp 560 Bairro Universitário Ijuí - Rs 98.700-000, 98.700-000, Rio Grande do Sul, Brasil
Ver mapa

Programa

Por uma alimentação equilibrada. O nutricionista atua no campo da saúde, alimentação e nutrição humana. Desenvolve ações com autonomia e discernimento, assegurando a integralidade da atenção prestada aos indivíduos, famílias e populações conforme diretrizes do Sistema Único de Saúde. Este profissional conhece os alimentos na sua complexidade e especificidade e sua aplicação na alimentação e nutrição humanas.


Histórico
O Curso de Nutrição está voltado à compreensão da realidade social em que se insere o profissional de saúde pública e, mais especificamente o nutricionista, ao entendimento do que representam os hábitos alimentares da população. O Curso surgiu na UNIJUÍ em 1981, implantado pelo Centro de Ciências da Saúde, realizando o primeiro vestibular no mesmo ano, com ingresso de 45 alunos.

A partir da década de 90, incentivos à pesquisa resultaram em Programas de Iniciação Científica nos quais os alunos de graduação em nutrição se inserem. Da mesma forma, a qualificação dos professores através dos seus estudos de pós-graduação permitiu o incremento destas atividades vinculadas aos componentes curriculares.

Em 1997 foi criado o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Nutrição Humana, desenvolvido em duas áreas de concentração: Nutrição Clínica e Alimentação Institucional, fundamentadas num eixo comum contemplando a Nutrição Básica e Social. A Pós-Graduação desenvolve-se junto ao Campus Santa Rosa, correspondendo ao compromisso da Regionalização da UNIJUÍ.

As atividades vinculadas à área de nutrição desenvolveram-se na trajetória do curso, com diferentes focos e na maior parte das vezes vinculadas a linhas de pesquisa que buscavam contemplar os interesses das comunidades e organizações com a qual o curso se relacionou/relaciona. Destaca-se ainda a participação em pesquisas de cunho interinstitucional e interdepartamental, fomentadas por instituições financiadoras internas e externas.



Objetivos

Geral

* Formar o profissional nutricionista, capaz de no campo da saúde, alimentação e nutrição humana desenvolver suas ações com autonomia e discernimento, assegurando a integralidade da atenção prestada aos indivíduos, famílias e populações conforme os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde.

Específicos
Capacitar o profissional Nutricionista para:

* a compreensão da realidade social numa perspectiva histórica, contribuindo para a formação da cidadania através da postura crítica, ética e propositiva;

* o desenvolvimento da atenção à saúde na sua integralidade através do exercício interdisciplinar das ações em saúde, com qualificação científica e técnica;

* o desenvolvimento das atividades inerentes ao trabalho do nutricionista nas diferentes áreas de atuação;

* o conhecimento dos alimentos na sua complexidade e especificidade e sua aplicação na alimentação e nutrição humanas;

* o desenvolvimento de tecnologia e do controle sanitário dos alimentos, propiciando saúde através da transformação e da utilização segura dos mesmos;

* a atuação em pesquisa, ensino e extensão, implementando a investigação nas áreas da saúde, alimentação e nutrição.

* definir a segurança alimentar através do conhecimento dos métodos de produção, transformação e utilização dos alimentos de forma quantitativa e qualitativamente adequada, compatíveis com a saúde e a cultura das populações;


Perfil Profissional
Contexto de inserção regional

A implantação do Curso de Nutrição pelo Centro de Ciências da Saúde na então Fundação de Integração e Desenvolvimento do Noroeste do Estado (FIDENE), aconteceu no ano de 1981. Sua origem deu continuidade aos cursos na área da saúde, sendo este o segundo a ser implantado, após o de Enfermagem que teve início no ano de 1980. O primeiro vestibular ocorreu em 1981 com ingresso de 45 alunos.

A proposta de um Curso de Nutrição para a região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul emerge da necessidade da formação de um profissional da área da saúde capaz de atuar nas comunidades rurais e periferias urbana com propostas para as questões de saúde, que estavam sendo vividas e manifestadas através de mobilizações de organizações populares dos pequenos e médios agricultores e moradores da periferia urbana, sindicatos, cooperativas e associações de moradores.

Por outro lado, na busca de resolução para os problemas de saúde surgia o modelo de saúde comunitária que se propunha a intervenções mais próximas das classes populares, que se encontravam cada vez mais sem acesso aos serviços de saúde.

Nessa ótica nasce o Curso de Nutrição, voltado à compreensão da realidade social em que se insere o profissional de saúde pública e mais especificamente o nutricionista ao entendimento do que representam os hábitos alimentares da população e a relação destes com o estado nutricional, a saúde e a doença, ao desenvolvimento de uma consciência clara junto às populações atingidas por sua ação, de que as necessidades e hábitos alimentares nem sempre são adequados às necessidades destas, mas, ao contrário, são criados socialmente pelos grupos produtores de alimentos e principalmente controladores de alimentos refletindo a relação hábito alimentar e classe social.

Desta forma, o perfil profissional, proposto quando da implantação do curso de nutrição na FIDENE, definia-se pela formação de um profissional generalista integrado à realidade local apto a desenvolver todas as áreas de atuação do nutricionista. O referencial teórico adotado enfatizava as necessidades alimentares dos grupos humanos concretos e o melhor aproveitamento dos recursos disponíveis dentro das características culturais definindo as linhas operacionais de uma ação educativa pelos nutricionistas junto às camadas da população, em especial as do meio rural e dos periféricos urbanos em atividades integradas com as organizações comunitárias, escolares, religiosas, sindicatos, cooperativas, empresas dentre outros.

Visava-se, à época, a formação não apenas do técnico, mas também do educador atuante em equipes multidisciplinares de saúde, colocando ao nutricionista uma questão chave que não se circunscrevia no âmbito puramente técnico, mas principalmente no âmbito político de sua função. Dentro dessa concepção a estruturação da grade curricular pretendia garantir este perfil profissiográfico através do oferecimento de disciplinas de formação humanística e de disciplinas básicas para a área profissional que confrontassem o aluno com a realidade socioeconômica e cultural, como também de disciplinas que permitissem a intervenção nos grupos concretos, através da promoção de ações educativas.

Dentro desta concepção, o currículo do curso previa a realização de 840 horas de estágios supervisionados distribuídos do 5º ao 8º semestre do curso, quando a exigência expressa no currículo mínimo do Conselho Federal de Educação (CFE) era de 300 horas/atividade de campo. Estas peculiaridades em relação à carga horária e a semestralização das práticas desenvolvidas nos estágios eram, dentre outros, um dos fatores relevantes na garantia da formação profissional com o perfil desejado.

A compreensão e intervenção na realidade local, foco da formação profissional, dava-se também, além das práticas dos estágios supervisionados, através da inserção dos estudantes no programa de extensão da FIDENE. De acordo com Brum (1998) a extensão acompanha ou mesmo antecede a trajetória do ensino superior em Ijuí, sendo esta uma das dimensões substantivas da atuação da Universidade, integrada às dimensões do ensino e da pesquisa. A inserção da Universidade na realidade concreta da comunidade e dos grupos sociais dá-se, segundo Brum, especialmente através da extensão conferindo à Instituição um papel específico de participação crítica e intervenção educativa, na perspectiva das mudanças sociais definidas no embate político.

Assim, definiam-se os principais programas de extensão da área da saúde nos quais o curso estava adscrito:

* A saúde como questão pedagógica-educativa;

* Programa de desenvolvimento, educação, e tecnologia na área de nutrição;

* Formas de apropriação da saúde pelo capital e os movimentos de contra-hegemonia na região;

* Recuperação do saber popular à luz do saber técnico;

* Desenvolvimento da saúde comunitária;

* Programa de assistência integral ao pré-escolar e escolar (meio urbano e meio rural);

* Programa de integração ensino-assistência.

Dentro destes programas inseriam-se também diversos projetos de extensão sob a forma de cursos, seminários e encontros de estudo.

Os Encontros de Estudo de Nutrição, posteriormente configurados como Semana Acadêmica, tinham edição anual e, a partir de 1999, passaram a integrar a Semana Acadêmica da Saúde, que congrega os diversos cursos do Departamento de Ciências da Saúde no intuito de abordar questões inerentes à área da saúde, assim como propiciar também momentos de estudos de temas específicos.

Fez parte da história do Departamento de Ciências da Saúde a promoção de Seminários Regionais de Saúde em conjunto com a Comissão Interinstitucional Municipal de Saúde de Ijuí, municípios da região, com interlocução importante com a Secretaria Estadual de Saúde, sendo que estes aconteciam inicialmente em edições anuais e que se constituíram em momentos importantes de discussão e informação de assuntos pertinentes à saúde na época, como as questões do meio-ambiente, do menor na sociedade, da alimentação e cidadania e do acesso aos serviços de saúde assim como do processo de construção de um novo modelo de saúde através de discussões com a sociedade e o poder público. Estes eventos contavam com a participação de acadêmicos, professores, profissionais, políticos, dirigentes e população em geral.

O Departamento de Ciências da Saúde criou, em 1997, o curso de Pós-Graduação Lato Senso em Nutrição Humana. Fruto das reflexões do corpo docente e do investimento na qualificação dos professores na trajetória dos 20 anos do ensino de graduação em nutrição. Este curso foi desenvolvido em duas áreas de concentração: Nutrição Clínica e Alimentação Institucional, fundamentadas num eixo comum contemplando a Nutrição Básica e Social. O curso está atualmente na sua 3a edição, atualmente desenvolvendo-se junto ao Campus Santa Rosa, correspondendo desta forma, ao compromisso da Regionalização da UNIJUI.

As atividades vinculadas à área de nutrição desenvolveram-se na trajetória do curso com diferentes focos e na maior parte das vezes vinculadas a linhas de pesquisa que buscava contemplar os interesses das comunidades e organizações com a qual o curso se relacionou/relaciona. Destaca-se ainda a participação em pesquisas de cunho interinstitucional e interdepartamental e fomentadas por instituições financiadoras internas e externas.

A vinculação da pesquisa com o ensino da graduação é resultado também do fomento da universidade. Destaca-se o incentivo a partir de meados da década de 90 aos Programas de Iniciação Científica nos quais os alunos de graduação em nutrição se inserem.

Da mesma forma, a qualificação dos professores, através dos seus estudos de pós-graduação permitiu o incremento das atividades de iniciação científica vinculados aos componentes curriculares. Isto vem proporcionando a produção científica e a sua divulgação nos espaços internos e externos à Instituição.
Áreas de atuação do egresso

Alimentação Institucional: respondendo pela alimentação e nutrição, estruturando e gerenciando Unidades de Alimentação e Nutrição, promovendo a saúde de coletividades.

Saúde Coletiva: espaço de atuação voltado às intervenções sociais que visam a qualidade de vida das pessoas.

Nutrição Clínica: atuação na prevenção e tratamento de doenças através da Atenção Dietética e a Dietoterapia.

Tecnologia de Alimentos e Marketing: área em expansão, desafiando o nutricionista a atuar no controle de qualidade dos alimentos, na pesquisa e na criação de novos produtos alimentares.
Onde o Nutricionista Trabalha?

* Unidades de Alimentação e Nutrição de restaurantes industriais (empresas, hospitais, universidades) e comerciais;

* em Hospitais, em Clínicas, em Consultórios, Home Care;

* Supermercados, na elaboração de Cestas básicas de alimentos;

* nas escolas (merenda escolar), escolas de educação infantil;

* na Saúde Coletiva (unidades de saúde, municípios, Estados...), na Vigilância Sanitária de Alimentos, na Rotulagem Nutricional de Alimentos, na elaboração de novos produtos alimentares (em pesquisa e empresas)

* em hotéis, spas, empresas de transporte aéreo, clubes esportivos dentre outros.

A participação do nutricionista é obrigatória em todas as atividades relacionadas, direta ou indiretamente, à alimentação e nutrição (Lei 8.234/91 - art. 3º e 4º) o que amplia em muito o mercado de trabalho.



Compare este curso com outros semelhantes
Ver mais