Engenharia de Produção

UNICEUMA - Centro Universitário do Maranhão
Em São Luís

Preço a consultar
Ou prefere ligar para o centro agora?
(55) ... Ver mais
Compare este curso com outros semelhantes
Ver mais

Informação importante

  • Graduação
  • São luís
  • Duração:
    5 Anos
Descrição

O egresso do curso de Engenharia de Produção desta Instituição terá como principal atividade o projeto, o melhoramento, a implantação e o gerenciamento dos mais diversos sistemas de produção.

Informação importante
Instalações

Instalações e datas

Início Localização
Consultar
São Luís
Rua Josué Montello, Nº 1, Renascença Ii, 65.075-120, Maranhão, Brasil
Ver mapa

Programa

DURAÇÃO DO CURSO: 5 anos.
TURNOS: Noturno (Renascença).
TÍTULO DE GRADUAÇÃO: Bach. em Engenharia de Produção.

Produzir melhor, em maior número e com menos impacto ao meio ambiente são os desafios que fazem parte do dia-a-dia do engenheiro de produção.

A sua capacidade de atuar ao lado de um operário (nível operacional), como ao lado do presidente (nível estratégico) de uma empresa, torna-o fundamental na gestão da comunicação entre esses departamentos e criando a otimização de recursos.

Para qualquer empresa, o mercado é competitivo e tempo é dinheiro. A disputa de mercado envolve negociações até mesmo de outros países, portanto, produzir bem, barato e rápido, é vital, aproveitando todas as oportunidades.

"O engenheiro de produção é capaz de olhar o desperdício não como prejuízo, mas como uma oportunidade". Ao enxergar o resíduo no final da linha de produção, ele olha o problema sob a ótica da oportunidade criando mecanismos para que, o que seria prejuízo, se transforma em produtividade".( Osvaldo Quelhas - Presidente da ABEPRO)

A engenharia de produção do Uniceuma é um curso de formação plena que alia as áreas de engenharia(exatas) e administração(humanas), formando profissionais com visão estratégica de tecnologia, economia e capacidade gerencial; a união do rendimento e preservação, aliando tecnologia com gestão de pessoas, formam a base desta profissão.

Com a invenção das linhas de montagens, as indústrias passaram a produzir em série, cada vez com mais velocidade e em prazos mais apertados. Nesse cenário cabe ao engenheiro de produção, num trabalho multidisciplinar (engenheiros químicos, administradores, etc), organizar e gerenciar processos que envolvam pessoas, materiais, equipamentos e o meio ambiente, evitando o desperdício e aumentado a rentabilidade das empresas podendo ainda, coordenar as atividades básicas de uma empresa como compras, produção e distribuição de produtos, sempre visando promover a melhoria da eficiência, não deixando de lado a qualidade.

O egresso do curso de Engenharia de Produção desta Instituição terá como principal atividade o projeto, o melhoramento, a implantação e o gerenciamento dos mais diversos sistemas de produção. Ele deverá conhecer a teoria e a metodologia usada para analisar e modelar sistemas de relevância em Engenharia de Produção, em particular projetos que integram materiais, energia, informações, recursos humanos e recursos financeiros, através da analise da seqüência de produção, layouts e fluxos, métodos e procedimentos de trabalho.

Esse profissional deverá sempre procurar as melhores soluções para os problemas de engenharia, tendo que, normalmente, lidar com um conjunto de restrições composto por: fatores econômicos, segurança, considerações ambientais, objetivos estratégicos e cultura organizacional.

Além das atividades tecnológicas, esse profissional terá a sua atuação relacionada ao gerenciamento de recursos humanos, à negociação de contratos, à ética e à responsabilidade legal, tanto aos aspectos de comunicação impessoal.

Diante desse perfil profissional, o egresso do Curso de Engenharia de Produção deverá ter desenvolvido as competências e habilidades básicas a seguir descritas:

HABILIDADES ESPECÍFICAS

Projetar e usar sistemas produtivos, os quais unem informação, fluxo de materiais e uso de energia;

Usar recursos computacionais para simular métodos de trabalho e fluxo de materiais;

Projetar e usar sistemas de informações para monitorar o desempenho operacional;

Planejar, desenvolver e gerenciar sistemas de manufatura, qualidade e manutenção;

Analisar, interpretar, relacionar, inferir e aplicar conhecimentos;

Usar serviços integrados de tecnologia, abrangendo não somente os aspectos técnicos e econômicos, mas também as possíveis implicações sociais e ambientais;

Acessar e selecionar informações, de maneira ágil e autônoma;

Incorporar à sua área de conhecimento e de atuação profissional, avanços que ocorrem em outras áreas;

Expressar-se de maneira adequada, tanto oralmente, quanto por escrito;

Redigir relatórios técnicos e científicos e outros textos dessa natureza;

Lidar com instrumentos e organismos de controle e regulação de tecnologia;

Operar com suporte material complexo, envolvendo instrumentos de observação, registro e analise de dados;

Utilizar recursos computacionais como ferramenta usual e rotineira;

Operar com valores e formulações matemáticas;

Operar com modelos, protótipos e simulações;

Atuar em equipes interdisciplinares.

FUNÇÕES QUE O EGRESSO DEVERÁ EXERCER NO MERCADO DE TRABALHO

O campo de atuação do Engenheiro de Produção vem se diversificando cada vez mais. O seu percussor, o Engenheiro Industrial, tinha formação voltada para atuar principalmente no "chão da fabrica", tendo uma formação gerencial apensada à formação tecnológica. Hoje o Engenheiro de Produção se habilita também a projetar, operar e manter os sistemas de produção a partir de uma formação bem mais abrangente em termos de gestão de sistemas ou de organizações de uma maneira geral.

Os aspectos relacionados à gestão dos sistemas produtivos, conforme organizados nas 10 sub-áreas da ABEPRO (associação Brasileira de Engenharia Ambiental), têm se tornado cada vez mais complexo, vindo a constituir-se no que é considerada hoje uma base tecnológica própria da Engenharia de Produção. Com as recentes mudanças estruturais e organizacionais desses sistemas de produção e a evolução dos cursos de Engenharia de Produção, os profissionais egressos desta modalidade têm se mostrado, ainda, hábeis empreendedores e capazes de atuar nas mais diversas organizações da sociedade.

A nova ordem mundial ditada pela chamada globalização vem determinando a modernização das organizações, em busca da mais qualidade e produtividade, assim com o aporte de novos empreendimentos na cidade de São Luis. Este conjunto de fatores determina a necessidade de profissionais cada vez mais capacitados e aumenta significativamente a necessidade e a oportunidade de trabalho para o engenheiro de produção.

O UNICEUMA deve formar o engenheiro de produção, não adequando apenas à necessidade atual, mas que seja capaz de inserir-se neste contexto de constantes mudanças intervindo, inclusive, como agente de mudanças. O desejável é que seja capaz de atuar local/regionalmente, mas com uma ampla visão global.

Considerando estes aspectos, o Engenheiro de Produção deve ter uma formação generalista em termos de Engenharia de Produção tendo o curso características da chamada Engenharia de Produção Plena, ou seja, um engenheiro projetista, gestor e empreendedor de organizações, tanto unitárias quanto em redes ou cadeias de sistemas produtivos. Isto permitirá que os egressos do curso aumentem o seu espectro de opções de exercício profissional e de contribuição efetiva para o desenvolvimento da sociedade e para o crescimento do país.

Enfim, o egresso da Engenharia de Produção torna-se valioso para o mercado atual porque pela sua formação multidisciplinar, ele terá um raciocínio lógico-estruturado e capacidade de projeto muito desenvolvidos, gerados pela forte base na engenharia, combinados com sua formação humanística baseada nas disciplinas administrativo-financeiras, dando a visão global de uma empresa.

Compare este curso com outros semelhantes
Ver mais