Engenharia Elétrica

ULBRA Universidade Luterana do Brasil
Em Canoas

Preço a consultar
Ou prefere ligar para o centro agora?
(55) ... Ver mais

Informação importante

  • Graduação
  • Canoas
  • Duração:
    60 Mêses
Descrição

Informação importante
Instalações

Instalações e datas

Início Localização
Consultar
Canoas
V. Farroupilha, Nº 8001 · Bairro São José, 92425-900, Rio Grande do Sul, Brasil
Ver mapa

Programa

Modalidade: Formação Específica


Forma profissional engenheiro eletricista com ênfase a aplicações de eletroeletrônica nas áreas de Projeto de Sistemas Eletrônicos, Sistemas Digitais e Computação, Automação Industrial, Sistemas de Potência, e Sistemas de Instrumentação e Controle·



O curso proporciona o conhecimento teórico e prático de eletrônica analógica e digital, eletrônica de potência, sistemas de comunicação, sistemas de controle e automação, equipamentos eletro-eletrônicos, sistemas de aquisição de dados, engenharia de computação, sistemas de potência, conversão eletromecânica de energia e sobre instrumentação eletroeletrônica·



O egresso do curso está capacitado a projetar e implementar sistemas e equipamentos que façam uso da energia elétrica e dos sistemas de informação de forma racional e econômica, bem como apresentar soluções inovadoras para os desafios na área eletro-eletrônica·


Os engenheiros são preparados para assumir uma grande variedade de responsabilidades funcionais, tais como gestão, gerenciamento, projeto, pesquisa, docência, desenvolvimento, produção, construção, operação, vendas, estudos de viabilidade e administração·


Profissão: Engenheiro Eletricista


Como é o curso na ULBRA?


A graduação aborda os seguintes eixos temáticos: eletrônica analógica e digital , sistemas de energia elétrica, máquinas elétricas instrumentação e controle e sistemas de comunicação· A universidade possui uma usina de co-geração a gás natural e laboratório de processos de manufatura que são utilizados para as aulas práticas· 100% dos alunos formados conseguiram colocação no mercado de trabalho·




Apresentação

A Engenharia Elétrica trata da aplicação das leis da física para dominar a eletricidade, o magnetismo e os fenômenos eletromagnéticos, com o objetivo de desenvolver produtos e serviços em benefício da humanidade. É um curso com enfoque multidisciplinar que envolve conhecimentos de engenharia, matemática, física e química, que são utilizados para projetar, analisar, modelar, desenvolver e aperfeiçoar equipamentos ou técnicas da área eletroeletrônica.

Os engenheiros eletricistas projetam, desenvolvem, testam e supervisionam os equipamentos elétricos e eletrônicos. Alguns destes equipamentos incluem os geradores de energia; dispositivos de controle e transmissão utilizados pelos equipamentos elétricos; motores; controle de máquinas; iluminação e instalações elétricas em prédios, automóveis, aviões e em sistemas de navegação e de radar; e na radiodifusão e sistemas de telecomunicação. Muitos engenheiros eletricistas, cujo trabalho está exclusivamente relacionado com os computadores (hardware e software), são chamados de engenheiros de computação.

O Curso de Engenharia Elétrica da Ulbra prepara profissionais para trabalhar nas seguintes áreas: Eletrônica, Eletromecânica, Automação e Controle (Mecatrônica), Computação, Telecomunicações, Eletrotécnica, Energia e Eletrônica Médica.

A carga horária do curso é de 3604 horas, correspondendo a 210 créditos, que podem ser integralizados em nove semestres. As disciplinas são ministradas no turno da noite, de segunda a sexta-feira, das 19h10min às 22h30min. Algumas disciplinas especiais poderão ser ofertadas aos sábados.


Diferenciais


» Curso noturno, permitindo o trabalho ou estágios durante o período diurno;
» Curso generalista enfocando as grandes áreas da engenharia elétrica: eletrônica, eletromecânica, automação e controle (mecatrônica), computação, telecomunicações, eletrotécnica, energia e eletrônica médica. Há uma tendência a enfatizar aplicações eletrônicas e computacionais durante o curso em função das necessidades atuais do mercado;

» Equilíbrio entre disciplinas de ciências básicas e profissionais desde o primeiro semestre do curso, enfocando as grandes áreas da Engenharia Elétrica;

» Inserção do aluno nos campos de atuação da Engenharia Elétrica desde o 1º semestre, propiciando a interação entre teoria e prática, valorizando a integração interdisciplinar e oportunizando a realização de estágio já no primeiro ano do curso;

» Currículo atualizado e aprovado pelo MEC, de acordo com as novas diretrizes curriculares (Resolução CNE/CES 11 de março de 2002);

» Corpo docente formado por engenheiros-professores com larga experiência profissional, qualificação acadêmica e excelente relacionamento professor-aluno, com conceito máximo na avaliação do MEC;

» Único curso de Engenharia Elétrica de universidade privada do Brasil a obter dois conceitos A no Exame Nacional de Cursos (2002 e 2003);

» Maior IDD do Estado do Rio Grande do Sul obtido no ENADE 2005 entre os cursos de Engenharia Elétrica, significando que o desempenho médio dos concluintes do nosso curso está acima do valor médio esperado para cursos cujos alunos ingressantes tenham o mesmo perfil. A Engenharia Elétrica da ULBRA apresenta o maior "valor agregado" aos seus alunos formandos;

» Única universidade com usina de cogeração a gás natural de 6,5 MW;

» O curso conta com um dos maiores laboratórios de Manufatura Integrada por Computador do Brasil (CIM);



Sete laboratórios específicos à disposição dos alunos;

» Laboratório de Automação e Controle;
» Laboratório de Eletrônica e Telecomunicações;
» Laboratório de Máquinas Elétricas;
» Laboratório de Eletrônica Digital e Microprocessadores;
» Laboratório de Eletrotécnica;
» Laboratório de Projetos Eletroeletrônicos;
» Convênios assinados com as maiores empresas do setor produtivo do Rio Grande do Sul; · Bolsas: PROUNI, Iniciação Científica, Monitorias, e outras;
» Vasta oferta de estágios ao longo do curso;
» Financiamento de Estudos: FIES, APLUB e Bancos conveniados;
» Pagamento de mensalidades através de cartão de crédito;
» As atividades do profissional egresso estão discriminadas na Resolução Nº 218 de 29 de junho de 1973 e na resolução Nº 1.010 de 22 de agosto de 2005, elaboradas pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CONFEA/CREA). A habilitação concedida está discriminada nos artigos 8º e 9º da primeira resolução;
» Visitas às obras, instalações, indústrias de manufatura, indústrias petroquímicas e organizações de engenharia, oportunizadas ao longo do curso e sempre acompanhadas por professores das respectivas disciplinas;
» Cursos de nivelamento, sem ônus, nas áreas de matemática, português e informática;
» Aconselhamento individual das matrículas semestrais pela Coordenação do curso.


Objetivos

O curso tem por objetivo geral propiciar ao aluno uma formação profissional de engenheiro eletricista generalista, dando ênfase às aplicações da eletroeletrônica e informática. Será legado ao acadêmico conhecimento teórico e prático de eletrônica analógica e digital, eletrônica de potência, de sistemas de comunicação, sistemas de controle e automação, equipamentos eletroeletrônicos, instalações elétricas prediais e industriais, sistemas de aquisição de dados sobre conversão eletromecânica de energia e máquinas elétricas, computação e instrumentação eletroeletrônica.
O egresso do curso deverá ser capaz de projetar e implementar sistemas e equipamentos que façam uso da energia elétrica de forma racional e econômica. Este profissional deverá ser capaz de apresentar soluções inovadoras para os desafios na área eletroeletrônica e também de desenvolver-se de forma criativa nas outras áreas do saber humano.

Os objetivos específicos são definidos pelas competências e habilidades a serem alcançados pelos egressos do curso, e são os seguintes:

» Aplicar conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais à engenharia elétrica;
» Projetar e conduzir experimentos e interpretar resultados;
» Conceber, projetar e analisar sistemas, produtos e processos;
» Planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de engenharia elétrica;
» Identificar, formular e resolver problemas de engenharia elétrica;
» Desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;
» Supervisionar a operação e a manutenção de sistemas;
» Avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas;
» Comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;
» Atuar em equipes multidisciplinares;
» Compreender e aplicar a ética e responsabilidades profissionais;
» Avaliar o impacto das atividades da engenharia elétrica no contexto social e ambiental;
» Avaliar a viabilidade econômica de projetos de engenharia elétrica;
» Assumir a postura de permanente busca de atualização profissional;
» Aplicar o conhecimento em eletroeletrônica como um instrumento facilitador para as diferentes ações do ser humano, através do desenvolvimento de sistemas que aperfeiçoem atividades e viabilizem a melhora das condições de vida das pessoas e da comunidade.


Estrutura Curricular

O curso de Engenharia Elétrica possui um total de 3604 horas em sala de aula, acrescidas 160 horas de estágio supervisionado.

Há um total de cinqüenta e duas disciplinas, divididas em nove semestres, dentro de uma seqüência recomendada de estudos, que se caracteriza por não possuir pré-requisitos o que permite uma extrema flexibilidade.

Foi prevista a possibilidade de acelerar o avanço no curso mediante aferição do aprendizado e verificação de aproveitamentos através de provas de extraordinário conhecimento, de acordo como a LDB, dentro dos períodos mínimos estabelecidos pela legislação (4 anos). A oferta do curso é preferencialmente no turno da noite, com aulas aos sábados.

A matriz curricular do curso de Engenharia Elétrica é formada dentro de uma proposta interdisciplinar mediante a seleção de competências, habilidades e atitudes desenvolvidas em três grandes ciclos: ciclo de formação geral, ciclo de formação básica profissional e ciclo de formação profissional.

Ciclo de Formação Geral

É integrado por disciplinas cujas estruturas promovem a compreensão do mundo, da sociedade, da comunicação, da racionalidade investigativa e da espiritualidade.

Ciclo de Formação Básica Profissional

É integrado por disciplinas que compreendem a aquisição de fundamentos científicos e tecnológicos da Engenharia, cobrindo os campos da matemática, física, química, informática, desenho, entre outros.

Ciclo de Formação Profissional

Compreende a aquisição de conhecimentos e o exercício de competências específicas da profissão de Engenharia Elétrica nas áreas de: Análise de Engenharia de Circuitos Elétricos; Engenharia de Circuitos Eletrônicos para Sinais; Engenharia de Sistemas Lógicos e Computacionais; Engenharia de Sistemas de Comunicações; Engenharia de Sistemas de Conversão de Energia; Engenharia de Sistemas de Instrumentação e Controle; Engenharia de Sistemas de Energia Elétrica.

Estágio Supervisionado em Engenharia Elétrica

A importância dos estágios na formação profissional vem sendo reconhecida pelas universidades, professores e alunos. Hoje, mais que uma obrigação regulamentar, os estágios são reconhecidos como um importante instrumento pedagógico, essencial na formação profissional e, principalmente, estratégico na inserção do futuro engenheiro no mercado de trabalho. Os estágios podem ser de caráter curricular (supervisionado e obrigatório) ou extracurricular (opcional).

O estágio supervisionado em Engenharia Elétrica é uma atividade curricular obrigatória, com duração mínima de 160 horas/trabalho, realizada em uma empresa do setor público ou privado, e supervisionada por professores pelo curso. Este estágio deve ser realizado no penúltimo semestre do curso.

Trabalho de Conclusão de Curso em Engenharia Elétrica

A presença desta atividade na carreira de Engenharia Elétrica responde à necessidade de formação formal dos futuros engenheiros na concepção, gestão, execução e avaliação de projetos de Engenharia Elétrica.

A orientação do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC - é projetada para quem se inicia como projetista, ou bem, para aqueles que não possuem experiência prévia em todos os aspectos dos projetos de engenharia.

O orientador fornecerá as indicações metodológicas para o desenvolvimento de projetos em geral, indicando as distintas etapas que os compõem e a forma ordenada em que convém implementá-los para conseguir alcançar os melhores resultados possíveis.

Projetar é criar e isso é intuitivo, não é uma coisa que se possa ensinar. Por isso, se enumeram os recursos para suprir a falta de criatividade e experiência nos projetistas novatos.

No TCC se promove as formas adequadas de obter os dados de partida, o processo da busca de soluções, a forma de desenvolvimento sem omissões nem perdas de tempo, a justificação econômica e a forma de apresentação que tendem a resultados bem sucedidos. Também se incluem orientações nos temas de planejamento, programação da execução, gestão e avaliação.

Atividades Complementares

Atividades complementares são curriculares, e devem ser realizadas em horários extraclasses. São todas e quaisquer atividades realizadas fora do âmbito curricular, que sejam consideradas de interesse para o enriquecimento da formação profissional e pessoal do aluno. Tem por objetivo complementar a formação do profissional de Engenharia de Plásticos através da articulação entre ensino, pesquisa e extensão.


ividades de Pesquisa

O curso constituiu dois grupos de pesquisa registrados no CNPq:
» Sistemas de Medição e Instrumentação;
» Energia e Tecnologias para o Desenvolvimento Sustentável.


Sistemas de Medição e Instrumentação

O grupo caracteriza-se por apresentar trabalhos científicos, técnicos e de consultoria ligados à área de instrumentação eletroeletrônica, eletro-mecânica, aquisição e processamento de sinais e imagens aplicados às engenharias elétrica, mecânica e de materiais. Os assuntos de maior interesse do corpo de pesquisadores estão relacionados ao desenvolvimento de sistemas eletrônicos, eletromecânicos para controle e medição de grandezas físicas. Dentre as principais competências dos participantes do grupo pode-se destacar o desenvolvimento de: 1. Células de carga; 2. Condicionadores de sinais diversos; 3. Sistemas de aquisição e processamento de sinais diversos (biometria, telemetria, eletrônica médica, parâmetros relacionados à corrosão, entre outros); 4. Medição e caracterização de ruído e vibrações; 5. Sistemas microcontrolados (hardware e software) para aquisição, processamento e controle de processos (servomecanismos, atuação de sistemas, etc).

Energia e Tecnologias para o Desenvolvimento Sustentável

O grupo atua de forma transdisciplinar desenvolvendo pesquisas e projetos nas seguintes áreas: eficiência energética; fontes renováveis de energia (solar direta, hidráulica, eólica e biomassa); sistemas de cogeração, com ênfase no aproveitamento do gás natural; e planejamento energético. Os trabalhos são desenvolvidos com recursos próprios da Universidade através de convênios com prefeituras municipais, secretarias de estado, concessionárias de energia elétrica, com a PETROBRAS e empresas públicas e privadas, envolvendo professores pesquisadores, alunos de graduação, pós-graduação e técnicos da Instituição.