Alimentação de Vacas Leiteiras

REDE INTERNACIONAL DE ENSINO LIVRE
A distância

Preço a consultar
Ou prefere ligar para o centro agora?
(55) ... Ver mais
Os usuários que se interessaram por esse curso também buscaram...
Ver mais

Informação importante

  • Curso
  • A distância
Descrição

Informação importante

Opiniões

Ainda não existem comentários sobre esse curso

Programa

MÓDULO I


Calcular a ração levando em conta o açúcar do leite


01-No inicio da lactação o metabolismo da vaca é organizado para uma alta produção de precursores do açúcar do leite


02-Como a concentração de lactose do leite é constante, a quantidade de lactose produzida pela vaca influencia fortemente a quantidade de leite produzida


03-Uma grande oferta de amido, sacarose, açúcar e pectina no início da lactação influenciam positivamente a produção de leite e é o ponto crucial para a obtenção de altas produções


04-As necessidades de energia não sendo bem atendidas cai a produção de leite e o conteúdo protéico do leite porque a vaca queima os aminoácidos para a produção do açúcar do leite


05-Uma condição prévia para atender esta demanda de energia é ter o rúmen em boas condições de saúde


MÓDULO II


Fibra de alta digestibilidade


06-Na segunda metade da lactação diminui a estimulação hormonal da vaca para a produção de leite


07-Uma excessiva oferta de energia, nesta fase, conduz a produção de mais ácido propiônico no rúmen


08-Como conseqüência, principalmente no final da lactação, aumenta muito o teor de insulina no sangue


09-Insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que regula o açúcar no sangue,insulina significa, sempre, aumento de peso


10-Nesta fase uma alimentação rica em energia tem efeito negativo


11-Procurando-se, no final da lactação, uma alimentação que produza mais ácido acético no rúmen, intensificara a produção do hormônio de crescimento a somatotropina bem como a insulina


12-Estas mudanças hormonais em direção ao ganho de peso tem lugar mais cedo e mais fortemente quanto pior for a qualidade genética da vaca para a produção de leite


13-Para a alimentação prática é então importante, na segunda metade da lactação, fornecer, preferentemente, bastante fibra de alta digestibilidade na forma de hemicelulose e ao contrário pouco farelo ou grãos de cereais e silagem de milho


14-Assim conseguiremos manter, por mais tempo a produção de leite alta


MÓDULO III


Proteína - fornecer o suficiente para a rúmen e o intestino


15-A alimentação protéica necessita no futuro de uma mudança no cálculo


16-A proteína de cada alimento degradada no rúmen e no intestino devem ser calculadas


17-Do total da proteína 60 a 65% deve estar disponível no rúmen para os microorganismos


18-Por outro lado, para altas produções de leite, 35 a 40% da proteína deve passar pelo rúmen e ser absorvida no intestino


19-É Importante saber que com o aumento da matéria seca da silagem de gramíneas,aumenta-se o teor de proteína disponível


20-Silagens úmidas , normalmente deixam somente uma pequena parcela de proteína passar ao intestino, pois a proteína bruta é quase toda degradada no rúmen


21-A recomendação de proteína pelos cientistas é normalmente baixa


22-Somente com 17 a18% de proteína bruta na matéria seca teremos uma quantidade suficiente


23-A medida ideal permanece sendo a quantidade de uréia no leite


24-Menos de 20 mg de uréia por litro de leite está abaixo das necessidades da vaca


25-Com valores e Valores acima de 35 mg por litro não são tolerados pois comprometem a saúde da vacantre 25 a 30 mg por litro teremos garantido um balanço positivo no rúmen


26-Para alcançarmos os valores indicados, devemos fazer o cálculo através da proteína


27-Aumentando gradativamente a quantidade de soja na ração modifica-se os valores, quando muito baixos


Os usuários que se interessaram por esse curso também buscaram...
Ver mais